Diversificação de Investimentos – Por que fazer?

Compartilhe esse post

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Sempre duvide de qualquer pessoa que te disser que tem certeza sobre qual é a direção que o mercado financeiro vai percorrer. Por outro lado, investidores experientes sempre darão o mesmo conselho: a diversificação de investimentos é a principal estratégia para ter bons resultados independentemente dos rumos da economia.

O mercado é volátil, imprevisível e incerto. Momentos bons oscilam com momentos ruins e crises vem e passam. Portanto, depositar todas as suas fichas em uma única alternativa pode te trazer prejuízos. Assim, a diversificação de investimentos te protege contra esse risco.

E se você pensa que essa tática não é para você pela quantia que você tem para investir, está muito enganado: desde os primeiros passos como investidor você já consegue montar uma carteira diversificada e acompanhar os benefícios dessa estratégia.

 

O que é Diversificação de Investimentos?

A diversificação de investimentos é uma técnica de redução de riscos e maximização de ganhos. Seu princípio é bem simples: a ideia é distribuir o seu capital em diferentes ativos do mercado financeiro, evitando se expor a um (ou a poucos) investimentos.

É possível apostar em diversificação de investimentos assumindo um maior ou um menor nível de riscos: isso geralmente está atrelado a porcentagem de ativos de renda variável e de renda fixa que você coloca em uma carteira. Quanto mais você investe em renda variável, maiores são os riscos.

Porém, mesmo que você invista boa parte da sua reserva em renda variável, ainda é possível ter uma carteira diversificada. Para isso, você deve apostar em ações de empresas de setores diferentes ou até em diferentes tipos de ativos (ações, bitcoins, ouro e dólar, por exemplo).

 

Qual é a importância da diversificação de investimentos?

Um dos principais objetivos da diversificação de investimentos é diminuir o peso de um ativo específico em relação ao desempenho geral da sua carteira.

Existem inúmeros fatores que afetam o valor de um papel. Grande parte dessas variáveis é imprevisível e está totalmente fora do nosso controle. Porém, com a diversificação, quando um desses fatores ocorre, você estará protegido pois todo seu dinheiro não está atrelado somente ao papel que sofreu a desvalorização.

Para ilustrar essa situação, vamos supor que no começo de 2020 você determinou uma porcentagem para investir em renda variável e, dentro desse montante, investiu em diferentes ações e em bitcoins.

Com a crise do coronavírus (totalmente inesperada na época do aporte), suas ações sofreram uma grande queda. Mas se você diversificou dentro do mercado de ações, é possível que o dano tenha sido revertido, já que algumas empresas superaram muito bem a crise e terminaram 2020 melhores do que começaram.

E como você não apostou apenas no mercado de ações, mas também no bitcoin, provavelmente você teve grande sucesso, já que a criptomoeda cresceu mais de 300% em 2020. Consegue perceber que uma boa aposta pode “cobrir” os prejuízos gerado por um fator inesperado?

No entanto, vale uma dica: mesmo na hora de diversificar é preciso estudar o mercado. Não adianta apenas investir em tudo que você vê pela frente. Avalie bem cada tipo de investimento para montar uma carteira que seja ao mesmo tempo diversa e com boas chances de rentabilidade.

 

Por que colocar criptomoedas na diversificação de investimentos?

Por mais que a Yappi só trabalhe com um ativo específico (criptomoedas), nós recomendamos fortemente que você diversifique sua carteira. Não queremos convencer ninguém a alocar todas as suas reservas em criptomoedas, pelo contrário, sempre aconselhamos distribuir os investimentos em diferentes ativos.

No entanto, acreditamos que é fundamental ter criptoativos entre os investimentos que você escolher. A Grayscale, um dos maiores e mais conceituados fundos de investimentos do mundo, fez uma pesquisa muito interessante sobre o assunto.

A empresa montou um comparativo de quatro carteiras diversificadas entre os anos de 2013 e 2019. Todas as carteiras seguiam um padrão comum no mercado, que é de aportar 40% em renda fixa e 60% em renda variável. A diferença era a quantidade de investimentos em criptoativos: 0%, 1%, 3% e 5%.

A carteira que tinha 5% do capital aportado em criptoativos teve um retorno de 71,8% ao longo dos 6 anos. Já a carteira sem nenhuma criptomoeda, gerou um retorno de 34%. Esse é um exemplo claro de que diversificar é uma boa opção (ambas geraram um bom retorno), mas que o pouco que você reserva para criptomoedas já pode fazer uma enorme diferença ao longo do tempo.

Se você ainda tem receio ou dúvidas sobre como começar a investir em bitcoins, a Yappi pode te ajudar a dar esse primeiro passo. Agende uma conversa com nossos especialistas e vamos montar um planejamento financeiro juntos e uma carteira de investimentos diversificada!

Leia também:

Compartilhe esse post

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Assine nossa newsletter

Fique por dentro das novidades do mundo cripto e outros investimentos.