Liquidez: Entenda esse conceito de uma vez por todas

Compartilhe esse post

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Ao analisar algum investimento, você com certeza irá se deparar com o conceito de liquidez. Essa é uma característica presente em todos os produtos de investimentos. Mais do que isso, ela é um dos principais fatores a ponderar na hora de aplicar o seu dinheiro.

De forma geral, a liquidez está relacionada ao acesso que você pode ter ao dinheiro aportado. Já deu para entender por que ela é tão importante, certo? Afinal, não adianta nada fazer seu dinheiro render sem que você nunca possa resgatá-lo.

Neste artigo, vamos te explicar exatamente o que é liquidez, por que é fundamental você se atentar a esse conceito e dar exemplos de diferentes investimentos em relação à liquidez.

 

O que é liquidez?

A Anbima define liquidez como a capacidade de conversão de um bem em dinheiro. Ou seja, trata-se da facilidade e velocidade com as quais um ativo pode “virar” dinheiro novamente.

Nesse sentido, dizemos que quanto mais rápido for a conversão do ativo em dinheiro, maior será sua liquidez. Da mesma forma, um investimento com pouca liquidez é aquele mais difícil de ser resgatado.

Diferentes motivos podem influenciar essa liquidez. Em alguns casos, simplesmente não há compradores e, por isso, o ativo não pode ser negociado com rapidez. A venda de um imóvel, por exemplo, é considerada de baixa liquidez, já que você necessita de um tempo para conseguir efetivar essa negociação.

Outro motivo comum para alterar a liquidez é o tempo acordado para liquidar o investimento. Por exemplo, uma LCI (Letra de Crédito Imobiliário) geralmente tem a liquidez no vencimento do papel, o que pode acontecer anos depois da aplicação. Nesse caso, você só poderá resgatar o seu dinheiro na data de vencimento. Ou seja, é outro produto de baixa liquidez.

 

Por que a liquidez é importante?

Fazer um bom planejamento financeiro é essencial para atingir seus grandes sonhos de vida. No entanto, você só terá sucesso nesse planejamento se considerar a liquidez dos seus investimentos.

Por exemplo, imagine que você deseja guardar dinheiro para comprar um imóvel em 10 anos. Se esse é seu principal objetivo, você pode investir uma parte de suas finanças em um produto de baixa liquidez. Afinal, você não pretende resgatar seu dinheiro em pouco tempo e quer acumulá-lo por uma década.

Mas você também não quer deixar 100% do seu dinheiro preso em um investimento que você não pode resgatar por anos, certo? Portanto, uma parte da sua reserva deve estar em investimentos de alta liquidez, justamente para suprir emergências e outras necessidades que surgirem pelo caminho.

Deu para entender como a liquidez está completamente relacionada ao seu planejamento?

 

Liquidez e rentabilidade: qual a relação?

A essa altura você deve estar pensando: “Mas então não é mais fácil só investir em produtos com alta liquidez? Por que vou aplicar meu dinheiro em algo difícil de resgatar?”

O raciocínio faz sentido, mas em linhas gerais, investimentos de renda fixa têm a rentabilidade diretamente associada com a liquidez. E essa relação é inversamente proporcional: quanto mais baixa for a liquidez, maior costuma ser a rentabilidade do investimento.

Considere os investimentos de renda fixa como um empréstimo a um banco ou ao governo (no caso do Tesouro Direto, por exemplo). Quanto mais tempo você deixar seu dinheiro com essas instituições, maior tende a ser a quantia que você será recompensado por isso. Faz sentido, certo?

Neste outro artigo nós explicamos o que é rentabilidade em investimentos e como conquistá-la.

 

Como saber a liquidez de um investimento?

Os bancos e corretoras de investimentos devem informar a liquidez de cada um dos seus produtos na oferta ao cliente. Geralmente, essa indicação é descrita em siglas como d+0 ou d+1 por exemplo.

D+0 significa que qualquer ordem de aplicação ou resgate daquele investimento será processada no mesmo dia. É comum ouvirmos no mercado o termo “liquidez diária” para investimentos d+0.  Títulos públicos do Tesouro Direto ou a poupança são exemplos de produtos com liquidez diária.

Já no “D+1” o resgate do dinheiro levará um dia útil para ser processado, o que também representa uma alta liquidez. Geralmente, fundos de investimentos de renda fixa costumam ter essa liquidez. Já fundos multimercado a liquidez geralmente varia entre “D+5” até “D+30”.

A liquidez das ações, um dos investimentos mais conhecidos por todos, dependerá do interesse de compradores. No entanto, sempre que houver demanda (o que costuma ser o caso das ações mais conhecidas), o investidor não terá problemas em liquidar o investimento. Mas a liquidação financeira da compra e venda de ações – ou seja, quando o dinheiro de fato entra ou sai da conta do cliente – é feita em 3 dias (d+3).

Já LCIs LCAs e CDBs são investimentos que costumam ter baixa liquidez. Geralmente eles variam de 1 a 3 anos, mas podem chegar até a muito mais que isso. Nesse caso, vale a pena pensar se você realmente pode deixar esse valor sem resgatar. Em alguns casos, no entanto, pode valer bastante a pena.

 

Qual é a liquidez da Yappi?

Investindo com a Yappi o seu dinheiro sempre estará sob sua custódia, em sua conta na Binance. Ou seja, a liquidez da Yappi é a liquidez da Binance, que é bem alta: hoje, a corretora trabalha com 2 dias úteis para compensação de saques

Assim, é possível confiar em nosso trabalho mesmo que você precise resgatar o dinheiro em pouco tempo.

Se interessou? Entre em contato com nossos especialistas e veja como você pode começar a investir com a gente.

Leia também:

Compartilhe esse post

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Assine nossa newsletter

Fique por dentro das novidades do mundo cripto e outros investimentos.